Só pensa naquilo…

Tem gente( homem, principalmente!) que só pensa em futebol. O meu caçula, só em pokémon. Há espaço para Star Wars e Lego na cabecinha dele, mas em pouco tempo, tornou-se um especialista no desenho japonês.
Confesso que já tentei compreender, mas não entra na minha cabecinha de adulto, tamanho fascínio que essa animação exerce sobre os infantis.
Ele tem 9 anos e resolveu fazer um blog sobre o assunto, devidamente divulgado por mim, aqui.
A Rosana Sperotto, amiga virtual de quem já falei por aqui, quis dar um incentivo, divulgando o blog dele num jornal do RS, onde ela é responsável pelo caderno infantil.
Atenciosa como sempre, enviou o jornal, juntamente com um bilhetinho e livro para ele:
E olhem aí, o meu garoto:

Como diria o ditado popular:
“Agrado a filho meu, é mel na minha boca”.
O menino vive pedindo:
“Mãe, faz propaganda do meu blog no seu!”
Compromisso cumprido, depois de ter cumprido outro:
“Mãe, faz brigadeiro pra mim, porque eu que não aguento esperar até o meu aniversário!”
O blog dele é este aqui: Pokéblog.3000.
Os brigadeiros, bem…outro pedido dele ao sair para escola, hoje de manhã:
“Mãe, não come todos os brigadeiros, não, tá?”
Então, só dá pra dividir a dica do blog com vocês. Os brigadeiros, não!…
Leia Mais

Ninho de pinguins

ohdeedoh

Outro dia, fui abordada na rua por uma moça, perguntando se eu era a “Laély do blog”. Estava fazendo a caminhada habitual com o Hulk e confesso, fiquei desconcertada. Não, pela abordagem (tão gentil, foi a moça!) e sim, porque não estava preparada para essa interseccção do real com o virtual. Há poucos dias, a Ana Sinhana escreveu no blog sobre tal situação de estranheza.
No mundo virtual, podemos ser qualquer coisa: como se fosse possível fazer photoshop do próprio layout e o que é apresentado, nem sempre corresponde à realidade. Não se trata de fingimento, mas de uma forma diferente de comunicação.
Assim como a Ana se descreveu, sou uma pessoa discreta, falo pouco, até sem graça, às vezes. Para quem me “conhece” através do blog, pode parecer que sou despachada, extrovertida, que tenho sempre uma resposta na ponta da língua! Enganam-se. O que sei, é que tenho uma facilidade maior para me expressar, escrevendo. É claro que, anos de experiência de vida e trabalho, ajudaram-me a driblar a insegurança e timidez, mas há resquícios dessa Laély em mim! Conforme comentei neste outro post, estou exercitando meu “lado cara de pau” e o blog tem me ajudado nisso.
Posso considerar-me uma novata na blogosfera: ainda não completei um ano de estrada. Posso também, considerar-me alguém de sorte, ou abençoada, ou de sorte abençoada pois, nesta curta caminhada, tenho encontrado muita gente boa! Pessoas com quem me identifiquei, desde o primeiro contato virtual. Isso tem me encorajado a dar um segundo passo e me aproximar ainda mais, concretizando no real, a amizade iniciada no virtual.
Nesta última semana foi “estranho” conversar com a Susi, amiga virtual que acompanha o blog desde o início, lá da Itália. Estranho, mas delicioso! A gente fica meio sem jeito, achando que pode não corresponder às expectativas do outro, como se num primeiro encontro com o namorado.
Estou me preparando para conhecer a mulher severino Eliene, com promessa minha de participar do casamento dela, lá em Belém, quando por lá for, em dezembro.
A Ana, a Sinhana, também foi uma dessas pessoas com quem me afinei. Apesar da correria de vida de cada uma, temos mantido contato, através de e-mails e pela blogosfera.
Havia lhe encomendado 2 pinguins, que ela mostrou aqui.
Há 2 dias, tive deliciosa surpresa ao receber minha encomenda do Polo Norte:Senti-me paparicada com tamanha delicadeza da parte dela: além dos pinguins, mandou de carona uns mimos fofos, como organizador de bolsa com tecidinho japa, porta moeda, bloquinho de rascunho e até, forminhas, confeitos e receita de cupcakes! Essa atenção não foi virtual, mas bem real pra mim.
Por enquanto, os bichinhos ficaram na prateleira da cozinha:
É que, em cima do freezer e geladeira, há outra família de pinguins morando. Precisaremos fazer negociações, para não haver traumas nessa mudança…
Coincidência ou sintonia, muito respeitosamente( já que a Ana é costureira de mão cheia!), comecei a fazer um cupcake para lhe enviar:
Não gostei desse e acabei fazendo um outro para cobrir um caderninho.
Mostro aqui o material que usei, caso alguém se anime a fazer algo parecido:
Caderno de capa dura/Tecidos, sianinhas, lantejoulas, linha de bordar/cola temporária em spray, para os apliques/cola de artesenato Círculo/canetinha para tecido/termolina leitosa.
Aqui, o acabamento interno, com outro tecidinho:
É bem simples de fazer.
Resumidamente, as minhas dicas:
-O adesivo temporário facilita muito na hora de fixar os pedacinhos de tecido dos apliques. Não encontrando ( é mais caro, também), pode-se usar o tecido termocolante.
-A bisnaga Círculo, descobri há pouco tempo e achei mais prática de usar do que a cola quente.
-Pode-se aplicar o mesmo adesivo temporário no verso do tecido, para aderi-lo ao caderno de capa dura. Cola de rótulo azul também funciona, mas demora mais a secar.
-Uso tecido termocolante no acabamento interno. É só tirar o papel de proteção do adesivo e grudá-lo na contra capa.
-Uma demão generosa de termolina leitosa finaliza o trabalho, ajudando a proteger e impermeabilizar o caderno.
Não estou aqui levantando bandeiras, nem dizendo que todo mundo na blogsofera deveria seguir meu exemplo. É difícil dar conta da vida e dos amigos reais. Impossível, dar atenção a todos os contatos virtuais! Mas, como escrevi no post sobre amizade, se for possível uma realização do virtual, por que não? Fica mais pessoal.
Abraço a todos, que de forma real têm apreciado esses nossos encontros virtuais por aqui!
Leia Mais

Reciclando as ideias

Continuando o assunto de reciclagem, fui pesquisar na Wikipédia:

“A reciclagem é o termo genericamente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.”
Confirmei então, que a ideia que eu fazia de reciclagem era correta: um determinado material é reaproveitado, ganhando utilidade diferente da original.
Mostro alguns exemplos, como forma de exercitar o olhar.
Xícaras desencontradas podem virar uma luminária bacana: DesignCrush
A Myrian Rovida mandou-me esta foto, explicando que reutilizou canecas de brinde como vasinhos para mini-rosas. Ao marido, o trabalho mais duro( literalmente): furar um buraco no fundo, para a drenagem de água. A contribuição dela: acomodar as rosas e amarrar a faixa de chita.
Simples e simpático, não? ( Tirando a parte da furadeira…)
Outra ideia simples que me encantou, foi esta ( contribuição da amiga Fernanda):
Os copinhos de vidro foram cobertos com botões, criando lindos castiçais!
Sonho Lilás
Ainda botões, um porta copos:

DesignCrush

Esta bela poltrona com jeans usado, poderia decorar um quarto adolescente: Remodelista
Galho, virou cabideiro: Remodelista
Aqui no quintal de casa, usamos pneus velhos para corrigir os aclives do terreno acidentado.
Achei interessante a caixa de areia logo abaixo, feita com pneu: inspiring mamma
Boas ideias!
Atualizando:
*A Mara, nos comentários, fez uma observação muito pertinente sobre a diferença entre RECICLAGEM e REUTILIZAÇÂO de materiais.
Realmente, na própria Wikipédia, fonte citada no início do post, há uma distinção de conceitos:
“O conceito de reciclagem serve apenas para os materiais que podem voltar ao estado original e ser transformado novamente em um produto igual em todas as suas características. O conceito de reciclagem é diferente do de reutilização.”
Ela contribuiu, com o seu entendimento no assunto:
“…Reciclagem é reaproveitar a matéria prima que deu origem, por exemplo, latinhas de refrigerantes, que depois de usadas podem voltar a ser latinhas novamente, vulgarmente falando; já uma garrafa pet que se transforma em um vaso ou brinquedo por exemplo, isso é reaproveitamento e não reciclagem.”
Fiz questão de fazer esta observação aqui, como esclarecimento, mas acho que a intenção do post foi expor aos nossos olhos, formas diferentes de se lidar com objetos que poderiam ser descartados, diminuindo assim, a quantidade de lixo doméstico. Quem ganha, de uma forma ou de outra, é o meio ambiente.
Obrigada, Mara, pela contribuição.
**A Simone também deu a sua contribuição nos comentários, indicando um blog, com mais ideias lindas para reutilização de botões, aqui.
Leia Mais

Reciclando as ideias

Continuando o assunto de reciclagem, fui pesquisar na Wikipédia:

“A reciclagem é o termo genericamente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.”
Confirmei então, que a ideia que eu fazia de reciclagem era correta: um determinado material é reaproveitado, ganhando utilidade diferente da original.
Mostro alguns exemplos, como forma de exercitar o olhar.
Xícaras desencontradas podem virar uma luminária bacana: DesignCrush
A Myrian Rovida mandou-me esta foto, explicando que reutilizou canecas de brinde como vasinhos para mini-rosas. Ao marido, o trabalho mais duro( literalmente): furar um buraco no fundo, para a drenagem de água. A contribuição dela: acomodar as rosas e amarrar a faixa de chita.
Simples e simpático, não? ( Tirando a parte da furadeira…)
Outra ideia simples que me encantou, foi esta ( contribuição da amiga Fernanda):
Os copinhos de vidro foram cobertos com botões, criando lindos castiçais!
Sonho Lilás
Ainda botões, um porta copos:

DesignCrush

Esta bela poltrona com jeans usado, poderia decorar um quarto adolescente: Remodelista
Galho, virou cabideiro: Remodelista
Aqui no quintal de casa, usamos pneus velhos para corrigir os aclives do terreno acidentado.
Achei interessante a caixa de areia logo abaixo, feita com pneu: inspiring mamma
Boas ideias!
Atualizando:
*A Mara, nos comentários, fez uma observação muito pertinente sobre a diferença entre RECICLAGEM e REUTILIZAÇÂO de materiais.
Realmente, na própria Wikipédia, fonte citada no início do post, há uma distinção de conceitos:
“O conceito de reciclagem serve apenas para os materiais que podem voltar ao estado original e ser transformado novamente em um produto igual em todas as suas características. O conceito de reciclagem é diferente do de reutilização.”
Ela contribuiu, com o seu entendimento no assunto:
“…Reciclagem é reaproveitar a matéria prima que deu origem, por exemplo, latinhas de refrigerantes, que depois de usadas podem voltar a ser latinhas novamente, vulgarmente falando; já uma garrafa pet que se transforma em um vaso ou brinquedo por exemplo, isso é reaproveitamento e não reciclagem.”
Fiz questão de fazer esta observação aqui, como esclarecimento, mas acho que a intenção do post foi expor aos nossos olhos, formas diferentes de se lidar com objetos que poderiam ser descartados, diminuindo assim, a quantidade de lixo doméstico. Quem ganha, de uma forma ou de outra, é o meio ambiente.
Obrigada, Mara, pela contribuição.
**A Simone também deu a sua contribuição nos comentários, indicando um blog, com mais ideias lindas para reutilização de botões, aqui.
Leia Mais

Jardim suspenso da Rosana

A Rosana Sperotto, amiga virtual de real de delicadeza, inspirou-se neste post sobre reciclagem de garrafas.
Emprestando um termo que a Vivianne usou em um de seus posts da semana, a Rosana conseguiu fazer “melhorciclagem”:
Garrafinhas usadas+ tinta vitral + criatividade= upcycle
Mais detalhes, perguntem à própria arteira, no Amém mandalas e manualidades.

Leia Mais