Que cara tem sua casa?

Deixe-se levar pelo clima de Star Wars e imagine letras subindo e sumindo, universo adentro:
“Há muito tempo atrás, numa galáxia muito distante…”
…num lugar “Tão, Tão Distante”…

…Bem, não faz tanto tempo assim e nem fui tão longe, para abrir o blog, falando de casa e o que ela representa pra mim: aqui e aqui. Nesse último post, comentava sobre o filósofo Alain de Botton, que fez uma série para a BBC, que rendeu um livro:
Pois bem, há pouco tempo, comprei o livro e ao iniciar a leitura, tive uma boa surpresa: texto leve e envolvente, nem parece um intelectual, escrevendo sobre assunto indigesto, a princípio: arquitetura e filosofia. Nascido na Suíça, mas formado em Cambridge e residindo em Londres, ele conseguiu simplificar a Filosofia, abordando-a de forma prática e acessível, noutra série da BBC: “Filosofia para o Dia a Dia”.
Bem, eu só estou no início do livro, mas o autor levanta algumas questões sobre a estética das construções e o quanto isso pode afetar o cotidiano das pessoas.
O filósofo nos convida a pensar, no quanto somos influenciados por nossa casa e o quanto de nós, colocamos na construção delas.
Meu livro já está ficando todo marcadinho, pois a cada parágrafo, deparo-me com uma ideia a refletir e guardar na memória. Peço licença, pra transcrever aqui, apenas alguns que gostei:
“A casa se tranformou numa testemunha bem informada. Foi cúmplice das primeiras seduções, vigiou os deveres de casa sendo feitos, observou bebês envoltos em cueiros recém-chegados do hospital, foi surpreendida no meio da noite por conversas sussurradas na cozinha. Experimentou noites de inverno, quando suas janelas ficavam frias como sacos de ervilhas congeladas, e crepúsculos no auge do verão, quando as suas paredes de tijolos tinham o calor de um pão recém saído do forno.”

“Embora esta casa não tenha soluções para uma grande parte dos males que afligem seus ocupantes, seus aposentos são evidência de uma felicidade à qual a arquitetura deu a sua contribuição”.

E quem não tem recordação de um lugar, ou casa especial?! Chegamos a nos lembrar dos cheiros, de todas as sensações, boas e ruins, que tivemos ali: a casa da nossa infância, as brincadeiras na rua, a vizinhança…Infelizmente, a violência das grandes cidades roubou esse direito dos nossos filhos. Sinto-me privilegiada por morar num lugar, onde meu filho pequeno ainda pode andar pela rua sozinho e ir brincar com os amigos na pracinha, sem grandes preocupações. Tenho certeza, que ele guardará boas recordações desse período no tempo, desse lugar…Que isso contribuirá para que seja um adulto mais feliz e saudável, física e mentalmente.
Desdenhar a influência disso para nosso bem estar é ignorar o que o aconchego de um lar pode fazer. “A premissa para se acreditar na importância da arquitetura é a noção de que somos, queiramos ou não, pessoas diferentes em lugares diferentes-e a conviccção de que cabe à arquitetura deixar bem claro para nós quem poderíamos idealmente ser.” Mas, você é escravo da moda e estética? Sua casa, é um meio, ou um fim?

“No seu auge, a paixão pela arquitetura pode nos transformar em estetas, figuras excêntricas que precisam vigiar as suas casas com a atenção de guardas de museus, patrulhando seus quartos em busca de manchas, com um pedaço de tecido úmido ou esponja na mão. Os estetas não terão outra escolha a não ser se privarem da companhia de crianças pequenas e, durante o jantar com os amigos, ignorarem a conversa para se concentrarem na possibilidade de alguém inclinar-se para trás e, inadvertidamente, deixar uma marca na parede.” Credo!!

Semana passada, o marido mostra uma crônica do Arnaldo Jabor no jornal, que achei muito interessante: “Ser feliz é parecer feliz” . Vale a pena conferir o texto na íntegra, mas colo aqui, alguns trechos:

“Felicidade muda com a época. Antigamente, a felicidade era uma missão, a conquista de algo maior que nos coroasse de louros; a felicidade demandava o sacrifício. A felicidade se construía. Hoje, felicidade é ser desejado, consumido. Confundimos nosso destino com o destino das coisas. Uma salsicha é feliz? Os peitos de silicone são felizes?”
“Na felicidade industrializada, só o excesso é valorizado. Não há a contemplação elegante da delicadeza, nem a tradição de uma feliz sabedoria, de uma serenidade discreta. Nossa felicidade não é minimalista; está mais para uma imitação carnavalesca de Luís XIV.”
Muito importante é ver, nas fotos de milionários e colunáveis, a cenografia onde eles pousam como peixes em aquários de luxo, orgulhosos de seus tesouros: as casas e eles mesmos.Não se veem vestígios “dark”. Tudo é novo, tudo brilha, tudo é presente. Contra o decorrer do tempo, existem os “makeovers”, jorros de silicone e bochechas de botox. Para essa gente, não houve crises e mudanças no mundo. Não houve anos 60, nem guerras quentes e frias, nem fraturas ideológicas, muros caídos, fim de utopias, nada. Não aprenderam nada e não esqueceram nada, como disseram dos Bourbon.
Nas fotos, só aparecem gestos e coisas que gritam: lustres de cristal, galgos de bronze com olhos de safira, mármores falsos, ouro de tolos, ninfas de marfim, objetos no estilo catete-gótico, “barroco Teodoro Sampaio” ou “Early Lar Center”, atacando a arte contemporânea numa blitz feroz.
A decoração dos ambientes é para eles ou eles são para a decoração? As pessoas combinam com a casa. “

Sou da opinião de que a casa deve refletir a personalidade dos seus donos, e não, o contrário. Se precisamos mudar nossos valores, limitar nossa liberdade, pra servir a um conceito de estética, então, alguma coisa está errada!
Ter um castelo na Inglaterra, não fará de nós pessoas felizes, só por causa disso!
Voltando a citar o filósofo Botton:

“Como foram sensatos os antigos sábios ao nos sugerirem que deixemos de fora do nosso ideal de contentamento, qualquer coisa que um dia possa estar coberta de lava, ser carregada por um tornado, sucumbir a uma mancha de chocolate ou ficar suja de vinho.”
“A arquitetura mais nobre pode às vezes fazer menos por nós do que um cochilo ou uma aspirina.” “Deveríamos ter a gentileza de não culpar as edificações pelo nosso próprio fracasso em honrar o conselho que elas apenas sutilmente proferem.”
Há muitas canções populares maravilhosas, falando do significado de casa pra nós. Além daquela do Arnaldo Antunes, no post “A cidade e suas casas”, gosto muito de outras 2, da Marisa Monte.Vilarejo ( Infinito Particular-2006)
Há um vilarejo ali
Onde areja um vento bom
Na varanda, quem descansa
Vê o horizonte deitar no chão
Pra acalmar o coração
Lá o mundo tem razão
Terra de heróis, lares de mãe
Paraiso se mudou para lá
Por cima das casas, cal
Frutas em qualquer quintal
Peitos fartos, filhos fortes
Sonho semeando o mundo real
Toda gente cabe lá
Palestina, Shangri-lá
Vem andar e voa (3x)
Lá o tempo espera
Lá é primavera
Portas e janelas ficam sempre abertas
Pra sorte entrar
Em todas as mesas, pão
Flores enfeitando
Os caminhos, os vestidos, os destinos
E essa canção
Tem um verdadeiro amor
Para quando você for Cantinho Escondido ( Universo ao Meu Redor-2006)
Dentro de cada pessoa
Tem um cantinho escondido
Decorado de saudade
Um lugar pro coração pousar
Um endereço que freqüente sem morar
Ali na esquina do sonho com a razão
No centro do peito, no largo da ilusão
Coração não tem barreira, não
Desce a ladeira, perde o freio devagar
Eu quero ver cachoeira desabar
Montanha, roleta russa, felicidade
Posso me perder pela cidade
Fazer o circo pegar fogo de verdade
Mas tenho meu canto cativo pra voltar
E posso até mudar
Mas onde quer que eu vá
O meu cantinho há de ir
Dentro
E posso até mudar
Mas onde quer que eu vá
O meu eu cantinho há de ir
Dentro

E pra você? Que significado tem a casa e o quanto ela é capaz de interferir no seu estado de espírito, pra melhor, ou pior?

O tema, inspirou-me algo que nunca fiz aqui e que sei, me dará um trabalhinho! Mas, vamos lá, que o desafio será para todos: resolvi fazer uma promoçãozinha(Viche! Mas eu tô ficando metida!)

Negócio é seguinte: as 10 melhores respostas para essa perguntinha acima, ganharão um marcador de matrioshka, mostrado aqui. A melhor frase, ganhará um caderno de anotações, tipo esse aqui. Todas as frases, irão para sorteio, concorrer a um exemplar do livro, citado neste post. Valem apenas os comentários neste post.

Boa nova: mudei a forma de fazer comentários e agora, qualquer um pode fazer o seu, e não apenas os que têm blog. Então, todos podem participar, desde que tenham nome, e-mail e sejam residentes no país.

As frases podem ser mandadas até o domingo, dia 24/05. Até lá, definirei a data do sorteio e revelação dos ganhadores, ok?

Please! Nada de muita firula! Procurem ser concisos, do contrário, não dou conta nem de ler!

Lembram do Shrek, citado no início do post, no episódio em que vai para Tão Tão Distante, assumir sua missão de príncipe? Nada a ver com ele, né? Aquelas roupas, aqueles modos, aquele palácio… Muito mais feliz ficou, quando pode voltar para o seu pântano, com a sua feia Fiona e seus feios filhinhos, no meio da floresta. No final das contas, o que vale mesmo, é nos sentirmos à vontade, no melhor lugar do mundo pra se fazer isso: nossa casa!

Imagens: Desire to Inspire, Decorology , Apartment Therapy , FFFFOUND, Design Lovely

You may also like

43 Comentários

  1. Deixa comigo Lá!
    “manhã” boto pra quebrar,ou melhor ganhar, ou melhor ainda, participar. Porque esse negócio de contar com o ovo dentro da galinha não dá certo nè?
    Bjs.

  2. Adorei!!!Gosto de imagens bonitas mas com um texto assim …Você escreve de uma maneira especial,tem o dom,não só sem erros ortográficos mas com um discurso inteligente e fluido.Difícil,viu?
    Estou sempre por aqui e sempre com um sorriso lendo suas ideias,por dentro satisfeita e sentido prazer lendo suas palavras.Parabéns!!!

  3. Olá, é incrivel como seus textos são envolventes ! Sempre leio seu blog e gosto da maneira como vc publica coisas legais. Quanto a promoção, aí vai:
    A minha casa é meu templo, é minha paz ! É nela que eu convivo com minha familia, no aconchego … cheia de lembranças, valores pessoais e harmonia. Onde partilho carinhos, conversas, comidas, alegrias ! Do jeito que ela é, está perfeita: sem artigos de grife, sem frescuras !

  4. Menina… que tudo essa promoção!!!
    Segue a resposta…
    Minha casa é meu lar, meu abrigo, meu ninho e meu esconderijo de um mundo às vezes cruel.
    É aqui que eu reencontro todos os dias o meu amor. Na minha casa eu guardo os meus tesouros, recebo os que amo e encontro a minha paz.
    Minha casa interfere diretamente no meu estado de espírito. Se ela está uma bagunça e não consigo achar as coisas, me sinto perdida e fico irritada.
    É a minha casa que exterioriza as minhas maiores mudanças. Quando estou bem faço um agrado a ela com algum artesanato, aí fico ainda melhor…
    Eu sou completamente apaixonada pela minha casa.

  5. Laély,

    Não quero nem ver as frases alheias para não ter influência… kkkkk

    Pois bem, para mim a casa é o lugar certo, onde me aconchego, onde amo, onde vivo. É meu reflexo em cada ponto, e minha imagem vista de um todo.

    Beijos mill, espero que agrade.

  6. Ui! Adorei a promoção. E que difícil escrever sobre a casa. Ela representa tanta coisa, né? Bom, lá vai:

    “A minha casa tem vários significados para mim: porto seguro, lugar conhecido, o canto que guarda minhas coisas e minha identidade, meus sonhos. Nela cenas deliciosamente bobas e felizes tomam forma, como a que houve ontem. Enquanto escutava uma seleção aleatória de músicas que fiz, dentre as canções veio uma de folguedo popular ou cantiga de roda, não lembro ao certo…o fato é que dancei, rodopiando sozinha pela sala, e imaginei que um dia farei isso com meu pequeno. Assim, feliz e faceira. Não resta dúvida que minha casa interfere no meu estado de espírito da melhor maneira possível…”

    Beijos

  7. Sou um pouco obsessiva quanto à arrumação da casa, por isso, de uma certa forma, ela influencia no meu humor,ainda bem que depois de tantos anos casada com um bagunceiro e apenas filhos homens, consegui lidar com isso de uma forma mais tranquila. Quanto à resposta da promoção, aí vai:

    Minha casa é algo muito maior do que apenas tijolos empilhados, unidos com cimento e sustentados por uma base de concreto. É amor, unido por uma liga forte de paciência, solidariedade, conquistas e respeito. Sustentados por uma base maior: Deus! Afinal, o que é uma casa se não existe a parte humana para torná-la viva?!

    Bjos

  8. A casa é, antes de mais nada, o que sua construção acolhe. Se estou triste,sinto seu piso mais frio na hora de levantar. Se estou feliz, o jardim floresce com mais vigor. Se me sinto confusa, meu armário fica meses bagunçado.
    Somos nós que fazemos a casa e o reflexo das suas janelas é um espelho de nós mesmos. Assim como os olhos são o espelho da alma.
    Bjs queridona!!!

    ps: simplesmente amei o texto! deu vontade de correr e comprar o livro!

  9. Oi Laély,
    bom…minha casa é meu mundinho de paz, aconchego e lugar delicioso de receber os amigos.
    Levei 15 anos para conseguir comprá-la e a valorizo ao máximo….amo minha pequena e linda casa.
    Nela estou sempre feliz e animada a torná-la cada vez mais a minha cara!!!!
    Beijo:)
    janiceslbrito@gmail.com

  10. Minha casa é onde sou, e como o caracol, o jabuti, e a tartaruga, por onde vou levo a minha casa. Sou natureza e o universo é a minha casa. Sou super humana, e a Terra é meu céu. Sou puro amor e cada ser vivo é minha família, e nascemos na mesma casa.
    Amélia, dona de casa (mas ainda no aluguel…)

  11. Olá!

    Fiquei tão apaixonada pelo tema que fica impossível deixar de participar.

    No meu caso,minha casa é meu paraíso pessoal.

    É um lugar onde coloco a minha alma e carrego minha vida de energias boas.

    Esta relação que temos com a nossa casa(eu e minha família) nos ajuda a aprender mais sobre nós mesmos e a também exercitar um modo de vida melhor e intuitivo.

    Beijocas
    Regiane
    São Paulo
    e-mail: regiane.ivanski@bol.com.br

  12. Oi amiga
    desculpa o sumiço e se não me bastasse ficar longe ainda volto gripada,aiai
    por isso voutentar, minha cabeça tá latejando enão me deixa pensar.

    Minha casa é o meu mundo, é o lugar em que mais sinto prazer de voltar quando estou longe e olha que não é nenhuma mansão, não tenho móveis caros, nem o último designer, tenho sim comôdos pequeninhos que ficam transbordando no meu coração. Me deixa triste uma parede com infiltração, o telhado precisando ser trocado, o sofá caquético mas que quebra o galho, um dia o dinheiro dá e faço tudo que ela precisa, porém o mais importante é que na minha casa tem amor, tem os amigos no domingo para tomar um cafezinho, os almoços para no máximo 8 convidados(mais do que isso ficam pela varanda,rsrs), minha casa é o meu refúgio, meu paraíso.

  13. Minha Casa

    A minha casa fala? Fala.
    Mas não à nossa maneira,
    que todas as coisas sabem
    uma história que não cala a felicidade.

    Riem as janelas ao sol,
    preparando o dia que vai chegando.
    Brilham todos os cantos da casa.
    Vestem-se de alegria toda a decoração
    feita de coração e pronta
    pra matar a sede de qualquer solidão.

    A minha casa é concha
    Proteção, amor e tranqüilidade.
    Minha casa sou eu e os meus caprichos.
    O orgulho carregado de inocência

    A minha casa está à sua espera
    De peito aberto e coração sossegado.

    A minha casa fala? Fala.
    Só a entende quem quer,
    que todas as coisas tem
    um coisa para dizer.

    Bjs.

  14. Olá, Laély! Amei a idéia!

    Minha casa conta minhas histórias. Histórias felizes, porque só abro a porta para a alegria.

    A sapatilha jogada no sofá, ao lado do piano fala da pressa que minha mocinha tem em viver intensamente seus oito anos.

    Os protetores nas quinas da mesa de vidro e os brinquedos coloridos na sala são as marcas da minha pequena, que começa a descobrir o mundo e ainda não sabe o quanto isso pode ser perigoso.

    O terno na cadeira da copa é sinal de que quem eu amo está de volta.

    E assim, em meio a coisas espalhadas, a casa abriga gente que é muito feliz. E quando tudo está em seu lugar me entristeço, porque sei que faltou alguém, faltou alegria, faltou vida.

    E casa sem vida, é só um monte de tijolos.

    Bjsss

  15. Lá, que lindo post, super cheio de detalhes. E essa musica da Marisa? Totalmente minha cara, qdo João ainda mamava, peitos fartos, filhos fortes! Pode olhar, é do ano de 2006, início do ano. Emocionei.

    Minha frase:
    “Minha casa representa o que eu sou, e como eu quero que meus amigos me vejam, por isso quero todos a vontade lá, do mesmo jeito que quero pessoas abertas comigo e quero todos aconchegados lá, do mesmo jeito que quero que saibam que todos têm aconchego no meu coração.”

    Bjos querida. Amo seus coments viu, não sei se já te disse isso.

  16. “Quando era menina, os melhores dias eram aqueles em que por algum motivo justificável podia faltar à aula e ficar em casa. Era uma casa muito simples, mas simples também eram minhas necessidades: quintal com abacateiro, um pequeno quarto só meu, com cortina no lugar da porta, e uma cozinha com chão de cimento queimado vermelho lustrado com cera. Tive poliomielite quando bebê que deixou sequelas e dificuldades para me locomover. Então, quando a alegria dos vizinhos era brincar na rua ao sol, a minha explodia em dias de chuva, costurando roupinhas de boneca, brincando de casinha, ajudando a preparar o bolo para o café da tarde, relendo contos de fadas, abrigada e resguardada na minha acolhedora casa. Essa é a matriz da vivência com a minha casa de hoje, um útero onde crio, trabalho, protejo, me realimento de ideias e projetos, celebro a cor nova da parede e as petúnias em flor na janela. Um reduto para fortalecer o que aprovo em mim e trabalhar as dificuldades. Meu espelho em cada canto que adoro dividir com aqueles a quem quero bem. Um espaço sagrado, amém.”

  17. Estou tão feliz de, a cada hora que venho por aqui, colher uma florzinha, nesse jardim de comentários inspirados! Ai, tá ficando cada vez mais difícil…

  18. A casa dos meus sonhos tem cheiro de café, tem colcha de retalhos e manga no pé.
    Tem menino jogando bola e marido fazendo cafuné.
    A casa dos sonhos onde ela é?
    É a que eu moro agora, sempre dos sonhos ela é!

    Amiga, estou tão encantada com essa promoção!!! Fico feliz por estar participando. Bjokas.

  19. Oi Laély. Cheguei até aqui através do Mulher Severino da Eliene. Achei muito interessante o tema pois trata de um assunto relacionado a minha formação. Estou reformando um novo lar e tenho a certeza que querendo ou não, não há regras para decorar. A casa acaba ficando com a sua cara mesmo! Acho que por esse motivo que adoro artesanatos, artes manuais, reforminhas… e, gostaria de repartir também os meus pensamentos sobre o tema:

    “Minha casa, o meu lar e meu o refúgio. É aqui que eu me sinto bem e a vontade. É aqui que eu gosto de ficar só e de receber as pessoas queridas. Minha casa é a minha amiga, sabe de tudo e tantas coisas! Assim como cuido do próximo com carinho e respeito, cuido do meu lar, para que juntos possamos continuar passando por alegrias e tristezas, na saúde e na doença, até a morte nos separe!”

    Espero poder ficar também entre as 10+, porque adorei as matrioshka! Beijão!

  20. Laély, fiquei muuuuito feliz com suas palavras. Li seu post e realmente partilhamos dos mesmos princípios em relação a casa e quem vive nela. Fique a vontade para contar as idéias que eu coloco lá no meu espaço, as portas estão abertas para você.

    Bjsss

  21. Minha casa é o lugar onde chego e descanso,onde me sinto segura.Se está calor lá fora,ela é fresquinha,se chove está seca e segura e sobretudo é onde passo momentos de alegrias e tristezas,sozinha ou com os meus…E assim ela vai se modificando,se adaptando às novas necessidades.É uma caixinha no meio do mundo,onde a tampa só é aberta para os queridos e amados pois quando a abro está cheia de bons momentos e carinho.Cheia de vida e principalmente de sonhos!
    Milena.
    email:mileorlando@gmail.com

  22. Não sei o que dizer ao ouvir essa pergunta: o que minha casa significa para mim? É puro sentimento e esses são difíceis de transformar em letrinhas. Mas vou tentar…
    A casa para mim é o lugar onde sou eu na plenitude, onde guardo o que é mais sagrado para mim a começar pelas minhas filhas. Se me mudo fico realmente sem chão até que meus pertences me abracem, mesmo dentro das caixa dizendo em alto e bom som: -Estou aqui!
    Os lugares onde eu morei ficam impregnados com um pouco de mim. Todas as casa carregam um pouco das pessoas que moraram lá, está preso nas paredes!
    Construí uma casa com todo carinho para morar com minha família. Mas não fomos felizes e 1 anos depois nos separamos e me mudei. Essa casa não consegui vender ainda e quando a visito, todas as vezes, não consigo deixar de sentir um turbilhão de sentimentos e engolir o choro. Ela é bela e simples. Quando a mostro para outras pessoas ela fala tanto de mim que fico com vergonha de tanto que me sinto exposta. Ela fala a língua daqui de dentro e me mostra cada pensamento que tive naqueles tempos idos.
    Cristiana
    cris.da.terra@terra.com.br

  23. Muita delicadeza a sua vista:obrigada! Realmente a idéia da casa que anda com a gente é uma imagem coletiva. No tarot do Osho também ela aparece. Parabéns pela casa cheia de amigos!

  24. Muito legal o seu blog.
    “Minha casa é meu mundo, para onde volto depois de matar muitos leões e vencer muitas batalhas. Onde um banho me espera e de onde planejo minhas estratégias para amanhã.”
    Este seu blog é show.
    Cris Massa

  25. Olá!!
    Minha casa não tem palmeiras,minha casa tem jabuticabeira onde canta e se aninha o sabiá!
    Minha casa não tem tv de plasma, mas ela tem o colorido das flores, os perfumes mais caros não tem a
    presença da “rainha da noite” derramando sua essencia!
    Minha casa tem liberdade, tem a fidelidade dos meu cachorros amigos e da minha gata companheira!
    Ah! minha casa…tem café “passado” e fresquinho!! e é na cozinha que o assunto termina, ou quem sabe começa?
    Não importa! minha casa tem a alegria dos amigos, tem o abraço de filhos e tem a graça de pai e de mãe!!
    Aceita um café?
    carinhosamente,
    ligia maria

  26. Laély vou dar uma de Rapha, você não disse quantas frases… Agora prove da sua própria medida um pouco de frases e torça para não ficar sem tempero ou temperado demais.

    Minha casa… NÃO! A casa da sogra! Isso com certeza assusta muita gente… a mim não. Um dos pensamentos que trago sempre comigo, “tudo na vida sempre tem um lado bom basta saber olhar” por isso, a casa da sogra é a casa da vovó, onde sempre tem: pão fresquinho, café quentinho, doce caseiro, bala de coco, bolo de fubá, bolinho de chuva, limonada de limão galego, gatinhos (Tigrão, Nina, Snobel ou como vovó diria Mimi, Mina, Bebel) também tem o Oliver Cão, ou melhor, o Oliveira, no domingo tem macarrão, polenta, queijo frito, galinha e de sobremesa pudim de leite condensado, com filhos (as) netos (as) sobrinhos (as) e quem mais chegar, pois sempre chega…se casa de mãe sempre cabe mais um de “nona italiana” então… E no final o marido sempre diz a mesma frase: “ninguém cozinha como a mamãe”. Portanto, o grande segredo para a casa ser da vovó e não da sogra é a sogra ser a chef e a nora a reles lavadora de louça. Entretanto na casa da sogra, digo vovó, tenho meu quarto com móveis lindos que foram de minha mãe que quando a porta se fecha e abro meus livros posso viajar a vontade, pois a sogra cuida da casa.
    Beijos Nice!

  27. A minha casa é meu recanto, meu refúgio…
    Onde estão os simples, porém com grande valor sentimental,meus pequenos tesouros materiais, como as vaquinhas da cozinha…
    Onde moram algumas das pessoas mais importantes da minha vida, minha filha e meu marido. Ah! Além do meu presentinho que tanto me alegra e me faz mais feliz, minha querida Milu, uma pretinha cocker spaniel que tem no seu olhar o mais puro sentimento de amor e devoção…
    E é na minha casa onde choro as decepções e tristezas e onde há risos de alegria e felicidade num simples café da manhã ou numa festinha de aniversário.
    É meu recanto de amor, meu mundo de emoções, onde sonho, onde recarrego as energias física, mental e espiritual, onde melhor me encontro, onde posso ser totalmente e simplesmente “eu”.

    carolzinha_mmendes@hotmail.com

  28. Não podia deixar de dizer que esta promoção além de criativa, está muito linda, rica em detalhes e feita com muito amor, parabéns Laély!

    Minha casa é meu aconchego, meu refúgio, minha paz.
    É onde encontro tranquilidade, energia e alegria para o meu viver diário.
    É também onde tenho meu escritório de trabalho, onde posso aprender cada dia mais.
    Minha casa é um lar onde eu encontro amor, aprendizado, paz e muita, mais muita felicidade!

    Bjossss

  29. Que pena que já acabou a promoção. Mas meu lar é tão importante pra mim, que segue aqui meu pensamento:
    Mais que construção e concreto
    Mais que uma cama para dormir
    E que uma mesa para comer
    Meu canto não chamo de casa, chamo de lar
    Porque minha sala é meu sorriso, minha alma, meu olhar
    Meu quarto não é só meu sono, mas meus sonhos
    E minha cozinha é meu prazer, minha confidência, meu descanso.

    Abraços a todos

  30. Nossa, li esse post e me emocionei absurdamente ao saber do livro "A Arquitetura da felicidade" e ler os trechos que disponibilizou. Tudo porque estou num momento de mudança… Saindo do meu velho e pequenino apê abençoado pelo Cristo Redentor e alugado para um novo, maio e tão sonhado. Esta transição gera conflitos, o apego inquieta, as lembranças prendem e pensar o novo dá uma preguiça que só… Daqui vem as infinitas lembranças de tantos sonhos, de tantos planos, de tanta alegria, de tanto conquista. Bem, por isso, não me contive ao ler que a casa é a testemunha mais bem informada e consegui entender um pouquinho o quõ difícil um momento que deveria ser só de alegria tem sido para mim. Adorei o post!
    Abs,
    MM

  31. Marina, pena não ter deixado seu e-mail para que eu pudesse lhe responder, mas também me emocionei com o seu testemunho.
    Na verdade, não é à casa, que está apegada, mas às boas lembranças, vividas nela.
    Não desanime: mudanças, também são boas!
    Outro dia, li numa revista Geográfica a declaração de uma senhora de idade, dando algumas dicas de como se viver bem e, prolongadamente. Ela deu uma lição de sabedoria, numa vida de serviço aos outros:
    "Estranhos são apenas amigos, que ainda não conhecemos".
    Assim também, sua nova casa: prepare-se, pois ela é apenas uma estranha, que deseja ser sua amiga.
    Abrace a nova vida, a nova casa, sem restrições.
    Mantenha as lembranças antigas, permitindo-se novas.
    Abraço e obrigada!

  32. Ola´, gostaria de localizar o post "As cidades e suas casas" mencionado nesse post que cara tem sua casa, pois gostei muito desse e queria ler o outro também.
    obrigada e um abraço.
    Parabéns pelo blog.
    PS.: por coincidência estou acabando de ler o "Arquitetura da Felicidade", gostei muito!

  33. Olá!
    O post "A cidade e suas casas" tem um link no próprio post que acabou de ler, mas poderá encontrá-lo aqui também:
    http://saladala.blogspot.com/2009/02/cidade-e-suas-casas.html

    É um post bem antigo e notará diferença, tanto no tamanho da fonte quanto das fotos.
    Há mais posts sobre Santa Teresa, no marcador de mesmo nome, na barra lateral do blog.
    Pretendo fazer outro post, com fotos mais recentes das casas da cidade que me encantam.
    Obrigada pelo prestígio mas, se possível, deixe seu nome e e-mail para que eu possa responder-lhe mais facilmente.
    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *