Programa de domingo:

Em primeiro lugar, minha programação para esse dia foi: não ter programação! Acordei tarde, às 9:00h, coisa que não faço há muito tempo. Tomei café com calma e saí com o cachorro para a caminhada de sempre. Normalmente, não costumo sair tarde, pois não gosto de enfrentar calor, mas o tempo hoje colaborou: estava meio nublado, friozinho, agradável.
Pelo caminho, embrenhei-me no mato, em torno da estrada, sujeita à algumas picadas de formiga, pra colher uns “matinhos”. Vim, com um “trombolho” nas mãos, mas arranjei o mato florido , desprentensiosamente num vaso, e ficou assim:
Num canto da sala…
No lavabo… A frente da casa, também está florida, com lantanas:
Ainda sem empregada fixa, nos viramos durante a semana, comendo em self service. Mas, tenho me esforçado pra cozinhar, pelo menos, no fim de semana. Fiz pão e comecei a fazer o almoço, lá pelo meio dia. Guiei-me pelo sentido da visão, para montar este cardápio, baseado na diversidade de cores, e saiu isto aqui, lá pelas 14:00h, sem stress:
Arroz negro*
Salada de feijão fradinho(branco)
Creme de milho( amarelo)**
Salada de folhas verdes-alface americana, rúcula e flor de capuchinha( esses 2 últimos, colhidos da nossa horta)
Salmão grelhado
Sobremesa:
Mousse de maracujá
Açaí na tigela*O arroz negro é uma espécie deliciosa! Tem um cheiro e sabor, que lembra castanha. Mas, pode fazer com arroz integral, ou, melhor ainda: arroz 7grãos, Uncle Ben´s. Aí, você poderia dizer: “mas, eu não sei fazer arroz integral!” Muito simples: “seus pobremas acabaram”: Cubra o arroz com água e leve para ferver( sem nehum tempero). Depois de ferver uns 5´, desligue o fogo, tampe a panela e o esqueça, em cima do fogão, até perto do almoço. Quando estiver finalizando o almoço, acrescente mais um pouco de água ao arroz, dependendo do quanto estiver cozido. Junte os temperos de sua preferência: sal, alho, azeite, um fio, e conclua o cozimento. Você ficará surpreso, ao descobrir o quanto é fácil fazer um arroz integral soltinho e macio! No caso do negro, achei-o mais díficil de cozinhar, por issso, levei-o à panela de pressão e, 5´depois de iniciado o processo, desliguei o fogo e deixei descansar. Abri a panela e segui os passos, como se fosse o arroz integral.
** Também facílimo de fazer: Cortei umas espigas de milho verde e bati no liquidificador, com um pouco de leite. Acertei o sal e levei ao fogo , até ferver e engrossar, como um mingau cremoso.
Depois disso tudo, como diria minha sogra:”Barriga cheia, coração contente!”

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *